13 de junho de 2011

Nós somos todos os mesmos...


Estou indo pra qualquer lugar onde não exista destino. Onde nenhum texto reescrito seja aceito, obrigando assim que novos pensamentos surjam a cada novo parágrafo, e que parágrafos sejam escritos a cada novo pensamento, sem desperdícios, restrições ou julgamentos ignoráveis devido a sua tamanha incompreensão de idéias. Porque nem tudo deve ser entendido. E a incompreensão faz com que muitas outras conclusões apareçam, sejam elas teorias impraticáveis, ou descobertas geniais, que possam mudar gerações, ou apenas fazer com que você viva de maneira mais real e perceba que nem sempre os sonhos são o que nós queremos que sejam.

...humanos em todo nosso jeito e toda a dor.

Nenhum comentário: