3 de maio de 2012

Sobre estrelas e passado


"(...) até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas." Charles Chaplin.
O passado... Sempre usado como forma de “condenação”. Confesso que sempre fui adepta dessas frases clichês, nesse caso a que diz que não devemos (ou não deveríamos) viver do passado. Mas é impossível não questionar-se em alguns momentos da vida.
Afinal, nos tornamos quem queríamos ser? Quantos foram os sonhos que se realizaram e os que simplesmente deixamos de lado? Quando exatamente, deixamos de ser quem éramos e nos tornamos quem somos?
O que vai restar, e te assombrará quando menos esperar, serão os arrependimentos. Você vai se culpar pelas coisas que não deram certo, e por não ter se arriscado mais, seja por causa das decepções, ou por conta dos padrões de “certo” e “errado”. Mas é tudo tão relativo!
E o que vai ficar mesmo na memória, o que vai provocar as mais angustiantes saudades, serão as coisas mais simples que você nunca deu o devido valor.
Não deixe para perceber só no futuro o quanto seus dias foram mal vividos. Nunca se sabe quantos desses dias ainda temos pela frente, talvez não sejam tantos quanto imaginamos, e se demorarmos demais não tenhamos a oportunidade de sermos felizes como tanto desejamos.
E por favor, não se arrependa de nada. Tudo que você viveu até agora, define quem você é hoje, e todas as escolhas que está fazendo agora, te tornará melhor amanhã.

Até mesmo as mais brilhantes estrelas permanecem a bilhões de anos-luz no passado, e algumas delas nem mesmo existem mais. Mas temos a sorte de ainda podermos contemplá-las. Às vezes as consequências demoram a chegar aos nossos olhos. Só não deixe que seja tarde demais.

Nenhum comentário: