14 de dezembro de 2011

Apenas um suspiro e um olhar perdido...


Você olha para longe, mas a verdade é que está enxergando além do que pode ser visto, e ao mesmo tempo não vê nada. E mesmo olhando para um lugar fixo, por alguns instantes torna-se tão fácil perder-se em incansáveis momentos.
Em alguns desses momentos, apenas revivendo e reavaliando o passado. Em outros, criando novas cenas que serão colocadas em prática, ou talvez não, no imprevisível futuro do dia seguinte.
Reviver as lembranças que te tornaram o que você é hoje. Às vezes, isso parece ser perigoso, como algo que está prestes a explodir e te acordar para a realidade. E realmente explode. E o som estrondoso originado pelos seus próprios pensamentos te faz voltar ao presente, onde você se vê uma pessoa diferente da que havia planejado ser, vivendo em um mundo muito diferente daquele que havia sonhado viver.

“Mas afinal, o que é a vida se não uma constante adaptação interminável, onde é preciso adaptar-se a tudo, até mesmo à própria vida, ao nascer de cada novo dia?”

Um comentário:

Anônimo disse...

fato