5 de dezembro de 2013

Coração não é tão simples quanto pensa

Na maioria das vezes as pessoas recusam-se a lembrar, mas é igualmente tão triste esquecer. É triste quando aquela pessoa não mais ocupa espaço em nossa mente. Quando não conseguimos lembrar o brilho dos olhos, nem o motivo que os fazia brilhar. Quando ouvimos uma notícia e não conseguimos mais imaginar qual seria a reação dela diante de tal fato. Quando em nossos diálogos imaginários não conseguimos mais projetar a voz, nem achar frases que talvez pudessem ser ditas por ela, simplesmente por não mais a conhecermos. O som do riso também já não está mais gravado, as gírias, os suspiros, as longas pausas entre um assunto e outro. Sim, as pausas que nos faziam pensar, e a diferença, a incrível diferença que antes fazia em nossa vida e agora insiste em permanecer apenas em nosso coração. 

Nenhum comentário: