1 de janeiro de 2014

Finais ou (re)começos?

Essa época de Ano Novo é sempre o mesmo completo clichê social, com as recordações do quanto o ano que passou foi incrível, porque nas nossas memórias ele assim parece ter sido, mesmo que na realidade tenhamos passado o ano todo reclamando dos mais diversos motivos, tudo agora é visto como maravilhoso. Mas e esse próximo ano que agora se inicia?
Ele tem tudo para ser o ano de nossas vidas, aquele em que todos nossos sonhos se realizarão, não seremos pessoas tristes, não sentiremos solidão, não choraremos (a não ser por emoção), não perderemos as esperanças, seremos compreensivos, tolerantes, pacientes... Esse ano será uma eterna festa! É isso o que somos levados a acreditar, inclusive por nós mesmos.
Mas a realidade é que enquanto tudo que fazemos é comemorar, a vida realmente parece muito fácil, mas com o passar do tempo somos novamente atingidos pela rotina, por voltar ao trabalho que tanto odiamos, as aulas que somos “obrigados” a frequentar, e então mesmo depois de todas as promessas feitas, ainda permanecemos vítimas de nossas próprias escolhas.

Muito mais do que um “Ano Novo”, desejo coragem para que possamos modificar o ano e a nossa vida.

Nenhum comentário: