2 de abril de 2010

A capacidade de afastar-se de tudo


Olho no espelho e não me reconheço. Quem eu pensava e julgava ser eu, já não me causa admiração, e às vezes chega a parecer-me um espanto, são reações que nada me fazem acreditar que seja quem eu estava acostumada a ser.
“É apenas um momento”, é o que todos irão dizer, mas sempre é assim, sempre vai ser, não há nada que impeça os sentimentos de se manifestarem. Muitas vezes, machucam pessoas que pensei serem eternas e sensíveis, eram as únicas que poderiam me entender.
Mas eram apenas ilusões. Ilusões que ninguém gostaria de conhecer, apenas para sofrer quando elas fossem embora.
Sempre acaba por surgirem algumas decepções ou fracassos, mas o que importa mesmo, é que nada seja suficiente para lhe derrubar; se é importante nunca errar, é ainda mais importante consertar os erros quando eles acontecerem.
É mesmo muito incrível. Você sente a necessidade de manter-se isolada, sem conversar com mais ninguém. A não ser, com você mesma. Sim, pode e deve parecer uma coisa absurdamente idiota, talvez até um tanto imatura.
Mas é apenas o que eu estou sentindo, e o momento é esse, a hora é agora.

Nenhum comentário: